segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

MAIS VALE PREVENIR-AINDA O RELATÓRIO SOBRE OS INCÊNDIOS FLORESTAIS

Os Bombeiros Portugueses e a sociedade em geral, tem assistido à discussão pública sobre o relatório que avaliou as circunstâncias em que ocorreram as mortes dos oitos Bombeiros e, sobretudo, sobre a polémica em que o mesmo está envolvido.
Este documento, tornado público às pinguinhas porventura para dilatar no tempo os efeitos pretendidos com a sua divulgação, pouco nos trouxe de novo e nem mesmo a preocupação permanente de uns tantos de tirarem proveitos e protagonismos pessoais, nos causa qualquer estranheza.
Em Portugal, qualquer relatório ou documento de apuramento de factos está, à partida, envolto em polémica, e não estaremos muito enganados se considerarmos que muitos dos que têm opinado sobre ele, não o leu na totalidade e, porventura, nem mesmo alguma comunicação social que apenas lê, e às vezes de forma enviesada, o que interessa para vender noticia.
Depois de o conhecer na íntegra, também nós ficámos com opinião diferente daquela que foi amplamente divulgada pela comunicação social.
Das 111 páginas que são conhecidas, podemos considerar perigoso, em particular nestes casos em que tudo é tão imprevisível, deixar uma porta aberta para apontar culpados de uma forma tão linear ou generalizar responsabilidades e falhas, criando na opinião pública dúvidas, suspeitas e mesmo anátemas sobre aqueles que têm como missão a proteção e o socorro e que são muitas vezes a única tábua de salvação, em particular, para as pessoas que vivem mais isoladas. Não fora a grande confiança e o enorme carinho, que toda a população tem pelos nossos Bombeiros, reconhecendo a sua capacidade e o seu sentido de entrega, e tudo poderia estar posto em causa.
Queremos crer que nunca foi esta a intenção dos autores do relatório. Isto mesmo é, aliás, expresso por diversas vezes e formas, quando por exemplo é dito “que após os incêndios extintos, com toda a informação disponível, é muito fácil criticar e apontar os aspetos que correram menos bem”, ou quando os autores afirmam “Aceitámos este encargo cientes das dificuldades inerentes a um trabalho desta natureza…….. Não é nosso propósito acusar ou responsabilizar qualquer pessoa ou entidade pelas ações que descrevemos ou pelos seus resultados.”
Assim, após uma análise atenta, julgamos que, apesar de tudo, podemos retirar muitas notas positivas do relatório e transformá-lo numa ferramenta útil para os Bombeiros. Basta lê-lo com um olhar afirmativo, sem dogmas ou preconceitos e acreditar na boa-fé dos seus autores.
O apelo a melhor formação deve ser entendido no aspeto de evolução qualitativa, tendo em conta as mudanças operadas na floresta, face à sua desqualificação, desertificação e abandono.
A formação credenciada no uso do chamado contra-fogo, deve continuar a ser ministrada aos Bombeiros sobretudo às chefias. Os Bombeiros devem poder utilizar este recurso com segurança e sem complexos. Não é possível estar sempre à espera de equipas que vêm de fora. Quando chegam, raramente chegam a tempo, levam eternidades a fazer a avaliação, não confiam nos operacionais que estão no terreno, são bem pagas, ao contrário da esmagadora maioria dos Bombeiros, e são geradoras de conflitos desnecessários.
A necessidade de melhorar permanentemente os equipamentos de proteção individual é uma realidade inquestionável que este relatório confirma e reforça.
Concordamos em absoluto com a proposta inserida no relatório “Recomenda‐se a promoção de um programa Nacional, envolvendo diversas entidades operacionais, autarquias, empresas e a comunidade científica, para implementar soluções do problema dos incêndios florestais, de uma forma integrada e sustentada, por meio de ações de validação, demonstração e aplicação de medidas eficazes ou inovadoras de prevenção e segurança.”
Por tudo isto, não comungamos da crítica pura e dura ao relatório e aos seus autores, como não partilhamos da ideia generalizada, que pareceu transparecer, da falta de formação, ou de negligência na abordagem às situações. Os incêndios florestais desenvolvem-se em cenários demasiado complexos para se fazerem leituras tão simplistas. Quando queremos retirar duas ou três frases de um contexto mais vasto, podemos especular até onde a imaginação nos quiser levar e, sobretudo, podemos desviar as atenções dos verdadeiros problemas, que nos afetam a todos enquanto Bombeiros e cidadãos.
No momento em que escrevemos estas linhas, os Bombeiros Portugueses desdobram-se nas mais variadas tarefas de proteção e socorro, que decorrem do mau tempo e quantas vezes da falta de prevenção. Está quase a fazer um ano, que o país viveu alguns momentos de aflição com o fenómeno meteorológico da ciclogénese explosiva. Árvores caídas em cima das linhas de eletricidade, nos telhados das habitações, inundações por manifesta falta de limpeza. Tudo isto foi sentido, vivido e comentado. De então para cá, pouco ou nada fizemos para minimizar as consequências de fenómenos idênticos e lá estão novamente as árvores caídas sobre as casas, sobre as linhas, as inundações e tantas outras situações, que, não podendo de todo ser evitadas, podiam ser pelo menos minimizadas nos seus efeitos.
Precisamos continuar a prevenir mais do que a remediar. Esta poderia ser, aliás,  a grande mensagem para 2014.
António Simões
(Artigo originalmente publicado no Diário As Beiras)

domingo, 29 de dezembro de 2013

CADA VEZ MAIS PESSOAS RECORREM AOS BOMBEIROS

Com o encerramento do Centro de Saúde durante a noite, e pela natureza do seu funcionamento, cada vez mais pessoas recorrem diretamente aos Bombeiros, reconhecendo nesta Instituição capacidades para as ajudar a resolver alguns dos seus problemas.
Ainda recentemente um casal de um concelho do norte do País, que seguia no IP3 em direção a Lisboa, saiu deste Itinerário e perguntou pelo Quartel dos Bombeiros, porque a senhora se havia sentido mal. Prontamente assistida foi de seguida transportada de urgência para os HUC. No espaço de oito dias esta foi a segunda situação do género.
Mas não são apenas questões de saúde, de incêndios ou acidentes, que levam os cidadãos a recorrer aos Bombeiros. Esta semana, um cidadão com raízes familiares em Penacova, mais concretamente em S. Pedro de Alva, e residente desde sempre em S. Paulo no Brasil, enviou um e-mail para o Comandante dos Bombeiros para que o ajudasse a descobrir os seus familiares. Com uma consulta rápida ao ficheiro verificámos que um dos nomes descritos no e-mail é nosso Sócio. Contactámo-lo e, com a sua autorização, enviámos o número de telefone ao familiar no Brasil, que já nos agradeceu.
São assim as Associações de Bombeiros, permanentemente e em qualquer circunstância, ao serviço dos cidadãos.

MAIS UM ACIDENTE PROVOCA DOIS FERIDOS


Dois feridos, foi o resultado de um aparatoso acidente, ocorrido esta manhã no IP3 ao Km 50, próximo da descida do Botão.
Os Bombeiros de Penacova, mobilizaram para o local 10 Operacionais apoiados por duas ambulâncias, o veículo de salvamento e desencarceramento e o veículo de Comando.
Os dois dos feridos foram encaminhados para os Hospitais da Universidade de Coimbra.

S. PEDRO DE ALVA-MAIS UMA INICIATIVA DE APOIO AOS BOMBEIROS


A ideia partiu do Grupo de Jovens, Onda Jovem do Alva, e o público de S. Pedro de Alva encheu a Igreja para ver os cantos Natalícios e participar em mais uma iniciativa de apoio aos Bombeiros Voluntários de Penacova.

Estiveram presentes o Presidente da Direção, Paulo Dias, a Tesoureira e a Secretária da Associação, Clara Mateus e Paula Silva, O Comandante António Simões e Paula Santos, Bombeira residente em S. Pedro de Alva.

Durante o lanche partilhado, servido no final, o Comandante do Corpo de Bombeiros teve oportunidade para agradecer mais este gesto de simpatia e de solidariedade, e explicar aos presentes a atividade dos Bombeiros e a sua estrutura organizacional.

ACIDENTE PROVOCA UM FERIDO

Um ferido foi o resultado de um despiste de um veículo ligeiro, ontem ao final da tarde, no IP3 ao Km 62. Os Bombeiros de Penacova prestaram os cuidados de emergência pré-hospitalar e efetuaram o transporte para os HUC.

quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

AGRADECIMENTO

Também do Sr. Presidente da Câmara Municipal de Penacova, recebemos o e-mail que registamos e publicamos:

Exmo Srs,

Espero que as festividades natalícias tenham decorrido com calma e normalidade.
Pretendia com esta breve comunicação agradecer o esforço que os Bombeiros Voluntários de Penacova efetuaram por estes dias de alguma intempérie. De facto, sem vós, seria muito difícil responder às solicitações mais básicas que nas referidas condições sempre acabam por acontecer.

Um bem haja para todos vós e que 2014 seja  tudo nada mais calmo e sereno que este ano que estamos a concluir.

Abraço,

Humberto Oliveira

---------------------------------------------------------------

Presidente

AGRADECIMENTO

Os Bombeiros não trabalham para que lhes agradeçam, mas não deixa de ser importante ver o seu esforço reconhecido.
Publica-se o e-mail, recebido hoje, de um familiar dos feridos do acidente de ontem à tarde.
Resta-nos também agradecer este gesto, que constitui para nós um forte incentivo, e desejar um rápido restabelecimento.

Exmo. Sr. Comandante António Simões,
No seguimento do despiste seguido de capotamento de um veículo ligeiro de passageiros, ontem pelas 17h no IP 3 – Nó de Lorvão, venho por este meio agradecer a forma como foi efetuada a prestação de socorro, pois tratava-se da minha irmã e do meu sobrinho.
Já tive oportunidade de falar com a mesma ao telefone e felizmente resultaram apenas algumas escoriações nela e na criança.
Segundo a informação que me foi transmitida o socorro foi rápido e notou extrema competência técnica e humana em todos os Bombeiros que intervieram no acidente.
Considerando tratar-se do dia de Natal onde cada Bombeiro abdicou da família para estar ao serviço do Corpo de Bombeiros, faço questão que divulgue pelos elementos intervenientes este meu SINCERO AGRADECIMENTO.
Despeço-me deixando votos de Boas Festas.
Cumprimentos,
Nuno Emanuel Coroado
Algueirão Mem Martins

DESPISTE PROVOCA DOIS FERIDOS


Dois feridos ligeiros, um dos quais uma criança de 5 meses, foi o resultado do despiste de um veículo ligeiro, ontem cerca das 17h.30, no IP3, próximo do nó de Lorvão..
Os Bombeiros de Penacova mobilizaram duas ambulâncias e o Veiculo de Salvamento e Desencarceramento, prestaram os cuidados de emergência pré-hospitalar e transportaram a criança para o Hospital Pediátrico de Coimbra e a Mãe para os HUC.

quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

ACIDENTES, EMERGÊNCIAS E QUEDAS DE ÁRVORES MARCARAM A VÉSPERA DE NATAL E A CONSOADA DOS BOMBEIROS

Duas crianças ficaram ligeiramente feridas num acidente que ocorreu ontem cerca das 16h.00, no IP3, zona da Raiva, quando um camião que seguia no sentido Viseu-Coimbra terá embatido no separador central projetando-o para a faixa contrária. Uma das viaturas que seguia em sentido contrário não conseguiu evitar a colisão, provocando o corte de estrada e a consequente fila de trânsito que àquela hora era bastante intenso.
Os Bombeiros de Penacova, que estiveram no local com duas ambulâncias e o Veículo de Salvamento e Desencarceramento, procederam à estabilização das duas crianças, prestaram os cuidados de emergência pré-hospitalar e colaboraram na reposição da circulação da via.
Ainda os Bombeiros estavam neste acidente, já estavam a receber nova chamada para um despiste de um veículo ligeiro, no IC6, próximo do nó de S. Pedro de Alva. Mais uma ambulância e o Veículo de Socorro e Assistência Especial. Desta vez o condutor e único ocupante do veículo, não teve necessidade de ser transportado para qualquer unidade de saúde.
Além destes acidentes e das situações de emergência pré-hospitalar que ocorreram durante o dia, devido ao mau tempo, foram muitas dezenas as chamadas que caíram na central dos Bombeiros, sobretudo para cortes de árvores e desobstrução de estradas. Algumas habitações ficaram mesmo sem eletricidade com as árvores a cair em cima das linhas.

Cerca das 23h.00, ainda os Bombeiros, que voluntariamente passaram a consoada no quartel, andavam ocupados em tarefas de desobstrução de estradas, para o que o regresso a casa de muitas famílias fosse tranquilo.
 IP3
 IP3
IC6

terça-feira, 24 de dezembro de 2013

ACIDENTE NO IP3

O despiste de um veículo ligeiro no tabuleiro da ponte da Livraria do Mondego,no IP3,  esta noite cerca das 21h.15, voltou a mobilizar os Bombeiros de Penacova que deslocaram para o local vários meios de socorro.
Apesar do aparato e das muitas chamadas recebidas no quartel, o acidente não provocou vitimas, resultando apenas danos materiais.

Registe-se que no momento do acidente os Bombeiros tinham já duas ambulâncias em outras duas situações de emergência.

CABAZ DE NATAL


O cabaz de natal, organizado pelos Bombeiros de Penacova, foi sorteado no Sábado e a feliz contemplada foi a Sr.ª Maria Oliveira residente em Laborins, S. Pedro de Alva, Penacova.
Os nossos Parabéns à vencedora, e os nossos agradecimentos a todos quantos adquiriram as rifas e aos Bombeiros que promoveram a iniciativa.

segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

DOIS FERIDOS EM DOIS ACIDENTES

Dois feridos, assistidos pelos Bombeiros de Penacova e encaminhados para os Hospitais da universidade de Coimbra, foi o resultado de dois acidentes ocorridos este Domingo nas estradas do nosso concelho.
O primeiro, cerca das 8h.00, um despiste de um veículo ligeiro, próximo da localidade de Gavinhos, Figueira de Lorvão, provocou um ferido leve.

Mais tarde, às 14h. 30, uma colisão no nó de Oliveira do Mondego no IP3, provocou também um ferido ligeiro.

domingo, 22 de dezembro de 2013

PAI NATAL 2013


Com as suas Barbas Brancas o Pai Natal voltou a cair do Céu para fazer as delícias dos filhos dos Nossos Bombeiros, que esperavam ansiosamente a sua chegada ao solo para lhes entregar as prendas que parecia transportar no pesado saco que carregava aos ombros.
Depois de uma tarde divertida para os mais novos, com pinturas, insuflável, jogos e balões, à noite foi a oportunidade para juntar os familiares num jantar convivio que se prolongou pela noite dentro.
Durante o jantar a Associação entregou capacetes às chefias e botas para combate a incêndios a todos os Bombeiros, num esforço financeiro de cerca de 15 mil euros.
Um bem-haja aos Nossos Diretores, que não regatearam esforços para organizar esta festa de Natal e aos convidados que quiseram estar presentes, Câmara Municipal, Juntas de Freguesia, Comandante da GNR, Associações Culturais, Comissões de Capela, empresários, Bombeiros do Quadro de Honra, e outros Amigos que vão colaborando com a Associação.






 

sábado, 21 de dezembro de 2013

FESTA DE NATAL DOS BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS DE PENACOVA


A festa de Natal dos Bombeiros de Penacova, tem lugar hoje, a partir das 15h.00, hora a que se iniciam as atividades para os mais pequeninos, com insufláveis, pinturas, modelagem de balões, histórias, musicas e prendinhas para os filhos dos Nossos Bombeiros.
Ao incio da noite tem lugar um jantar convivio e de confraternização com os familiares mais próximos, aqueles que sentem no dia a dia a ausência dos Bombeiros e partilham com eles muitos dos momentos mais dificeis desta atividade.

quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

ACIDENTE VOLTA A CONDICIONAR IP 3


O IP3 voltou a estar condicionado ontem durante algumas horas, devido um despiste seguido de capotamento.

O acidente ocorreu mesmo em cima do tabuleiro da ponte da Livraria do Mondego, cerca das 16h.45 e provocou um ferido ligeiro, que foi assistido no local e transportado aos HUC pelos Bombeiros de Penacova.

quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

ACIDENTES CONDICIONAM IP 3


O IP3 esteve condicionado ontem durante algumas horas, devido à perda da carga de um camião que seguia no sentido Coimbra-Viseu, ao Km 62.
Os Bombeiros estiveram no local, mas não tiveram registo de danos pessoais.
Mais tarde, cerca das 19h.00, um outro acidente envolveu dois veículos ligeiros e um pesado que circulavam no sentido Viseu-Coimbra, entre o nó de Penacova e o Bar 21.
Os Bombeiros de Penacova fizeram deslocar uma ambulância e o Veículo de Salvamento e Desencarceramento e assistiram no local o único ferido ligeiro registado.

sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

TURMA CEF DE INSTALAÇÃO E REPARAÇÃO DE COMPUTADORES - "UM DIA NO QUARTEL DOS BOMBEIROS


Apesar da evolução e das profundas transformações verificadas no sistema educativo português, a escola ainda continua a confrontar-se com muitas dificuldades, na sua tentativa de encontrar respostas adequadas para os alunos com dificuldades de aprendizagem e características de insucesso escolar repetido.
Questões de integração na comunidade escolar, aversão à sala de aula, falta de motivação pelos processos de aprendizagem, entre outros, são problemas que afetam de forma continuada alunos e professores e que, por isso mesmo, exigem uma escola que seja dinâmica e competitiva e que, apesar de tudo, seja uma escola em que todos aprendam.
Para que isto não aconteça, entendemos que é necessária a definição de estratégias diversificadas, de forma a tentar melhorar o sucesso educativo dos alunos e a promover o desenvolvimento de competências pessoais e sociais.
É neste sentido, que a comunidade em geral e as Instituições Locais em particular, têm o dever, se solicitadas pela escola, de colaborar com respostas alternativas para tornar os processos de aprendizagem em momentos mais concretos de satisfação dos alunos e professores.
Reconhecendo esta realidade, o Agrupamento de Escolas de Penacova e a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Penacova, estabeleceram um protocolo de colaboração e têm vindo, ao longo dos anos, a cooperar de formas diversas.
No caso em apreço trata-se de promover um dia diferente a uma turma CEF de 1º ano de Instalação e Reparação de Computadores.
1.       Caracterização da AHBV de Penacova
As Associações de Bombeiros são Entidades que dão suporte legal a um Corpo de Bombeiros, obrigando-se a manter a sua capacidade técnica e operacional para acorrer aos mais diversos incidentes, assumindo-se, não apenas como a verdadeira Entidade de Proteção Civil, mas sobretudo como o garante da defesa dos Bens e Haveres dos cidadãos.
No concelho de Penacova, este papel cabe em exclusivo ao Corpo de Bombeiros, por não haver qualquer outra Entidade que prossiga os mesmos fins.
Estamos bem conscientes desta enorme responsabilidade e, apesar do nosso sistema organizacional assentar basicamente numa lógica de voluntariado, já habituámos não só as Instituições com quem mantemos parcerias, mas sobretudo os nossos concidadãos, a ter no seu Corpo de Bombeiros, uma resposta pronta, eficaz, credível e sobretudo consciente dos valores da solidariedade e do humanismo, que se exigem em todos os atos inerentes à prestação de serviços de emergência, proteção e socorro.
É nesta dialética permanente, entre os Bombeiros, os Cidadãos, as Empresas, as Escolas, que queremos continuar a manter os padrões de qualidade que têm caracterizado o serviço que prestamos, apesar do aumento significativo que se verifica ano após ano.
2.         Caraterização da Escola e da turma 1º ano CIRC
A missão de uma Escola Para Todos e Com Todos, deve privilegiar a aquisição de saberes e competências, bem como de valores e atitudes, apostando e procurando adequar e ajustar o seu currículo e as suas ofertas formativas a novos contextos e realidades.
A aposta na qualidade das práticas, na inovação pedagógica e científica e na consolidação e melhoria contínua de procedimentos, têm como objetivo a formação qualificada de pessoas capazes de responder adequadamente quer às solicitações das instituições do ensino superior, quer do mercado de trabalho, quer na formação para o exercício de uma cidadania plena, ativa, responsável e sustentada.
A difícil tarefa de construir uma Escola do presente e para o futuro implica que todos os seus intervenientes estejam comprometidos com o processo. Por isso queremos mobilizar e envolver todos os seus agentes para continuarmos o trabalho de construir uma escola com uma nova filosofia, que de forma articulada, entre os vários níveis e ciclos de ensino, vise uma maior e melhor aquisição de conhecimentos, atitudes e valores.
Nesse sentido, pretendemos uma Escola:
- mais humanizada e socializadora que eduque, integre e forme para a cidadania;
- que contribua para a transformação progressiva da sociedade;
- que desenvolva projetos de cooperação no seu território educativo, relevando a participação, a negociação e o estabelecimento de parcerias;
- que ouse experimentar novas perspetivas e tente gerir processos de mudança.
- que proporcione vivências plurais, valorize pensamentos diversos e garanta uma efetiva oportunidade de sucesso de todos e de cada um.
Adaptado do Projeto Educativo
A turma CEF de Instalação e Reparação de Computadores encontra-se no primeiro ano de um curso de equivalência ao 9º ano. Incluem a turma 20 alunos, com idades compreendidas entre os 14 e os 17 anos, todos rapazes. Residem todos no concelho de Penacova e grande parte beneficia do Serviço de Ação Social Escolar.
3.        Objetivos
A.1.2. Proporcionar processos de ensino e de aprendizagem diversificados, motivadores e exigentes, de forma a estimular e responsabilizar os alunos na sua própria aprendizagem;
A.1.10. Criar projetos  de intervenção e gestão curricular de forma a solucionar problemas de
insucesso, de indisciplina e de  abandono escolar;
A.1.11. Promover condições que permitam a adequação do processo educativo às necessidades educativas especiais dos alunos.
A.3.2. Partilhar experiências didático‐pedagógicas e de formação, valorizando e disseminando as boas práticas.
C.1.1. Promover o saber ser e o saber estar, valorizando as atitudes e os valores, criando mecanismos para prevenir e/ou alterar comportamentos;
C.1.2. Promover atividades que privilegiem a cooperação, a solidariedade, a tolerância, o respeito e a aceitação do outro;
C.1.3. Implementar atividades que promovam comportamentos responsáveis na área do ambiente, da saúde, da higiene e segurança e da informação;
4.        Planificação
       9h.30 – Receção, breve caraterização da Instituição e explanação resumida das tarefas a efetuar ao longo do dia.
       Divisão em dois grupos.
          Grupo A
             10h.00 – Verificação, limpeza, estudo dos veículos e caraterísticas dos equipamentos de combate a incêndios urbanos e florestais, sempre numa perspetiva pedagógica e de prevenção.
            10h30 – Verificação dos níveis de glicémia e avaliação da tensão arterial (facultativo)
           11h.00 – Lanche
           11h.30 - Verificação, limpeza, estudo dos veículos afetos à área da saúde e emergência pré-hospitalar
           12h.00 – Visita guiada às instalações
           12h.30 – Colaborar na confeção do almoço, pôr a mesa e almoçar
            14h.00 – Torneio de ping-pong e torneio de snooker
            15h.00 – Entrevista ao Comandante do Corpo de Bombeiros
            16h.00 – Breefing de avaliação
           Grupo B 
   10h.00 - Verificação, limpeza, estudo dos veículos afetos à área da saúde e  emergência pré-hospitalar, sempre numa perspetiva pedagógica e de prevenção.
            10h30 – Verificação dos níveis de glicémia e avaliação da tensão arterial (facultativo)
           11h.00 – Lanche
        11h.30 - Verificação, limpeza, estudo dos veículos e caraterísticas dos equipamentos de combate a incêndios urbanos e florestais;
            12h.00 – Visita guiada às instalações
             12h.30 – Colaborar na confeção do almoço, pôr a mesa e almoçar
             14h.00 – Entrevista ao Comandante do Corpo de Bombeiros
             15h.00 - Torneio de ping-pong e torneio de snooker
                  16h.00 – Breefing de Avaliação
Professores envolvidos:

8:30/10:00H
Margarida Figueiredo, Laurentina Soares
10:20H/12:00H
Clara Almeida, Gaspar Alves
12:00H/13:30H
Ângela Coelho, Margarida Figueiredo, Gaspar Alves
13:45H/14:30H
Gaspar Alves, Margarida Figueiredo
14:40H/16:10H
António Duarte, Laurentina Soares, Célia Martins

 

Notas: 1. O lanche da manhã e o almoço são da responsabilidade da AHBV de Penacova
                            2. Para o almoço convida-se o Presidente da Camara Municipal de Penacova, a Diretora do Agrupamento das Escolas de Penacova e o Presidente da Direção da AHBV de Penacova.

O Comandante,

António Simões

A professora de Físico-Química

Margarida Figueiredo

 

Esta foi a programação de um dia diferente que acaba de terminar com um saldo francamente positivo. É muito gratificante para a Nossa Associação de Bombeiros, poder receber os alunos da Escola Secundária e testemunhar a alegria com todos eles saem do Quartel: Satisfeitos, e sobretudo mais conscientes e motivados para as questões da proteção civil e da prevenção.
Hoje fizeram tudo: viram, fizeram, trabalharam, questionaram, aprenderam, divertiram-se. Foi verdadeiramente um dia diferente, para os alunos, para os professores e também para nós que saímos muito mais enriquecidos.
Ficou a promessa de repetir no final do ano letivo se todos tiverem aproveitamento escolar.







 

domingo, 8 de dezembro de 2013

UM ACIDENTE NO IP3, UM INCÊNDIO NUMA CHAMINÉ E MUITO MAIS TRABALHO NESTE DOMINGO


Um acidente com três viaturas, hoje, cerca das 16h00, no IP3, ao Km 70, próximo do Cunhedo, originou um ferido ligeiro, uma senhora de 39 anos de idade, que foi assistida no local e transportada aos HUC, pelos Bombeiros de Penacova.
Este foi um dos muitos serviços prestados pelos nossos Bombeiros neste Domingo. Ao final da tarde foram mais uma vez chamados para um incêndio numa chaminé duma habitação na localidade de Miro, pouco depois era uma queda e entretanto já tinham feito 8 serviços de emergência na área da saúde.
Foi mais um dia em que os Voluntários de serviço não descansaram um momento e as ambulâncias de socorro não arrefeceram os motores.
Uma palavra de muito apreço para todos os que deixaram a sua casa, a sua família, porventura deixaram de passear, e, voluntariamente, se dedicaram, neste Domingo, como em tantos outros, a esta nobre tarefa de socorrer. Uma palavra também a todos, e foram muitos, que estiveram envolvidos em diversos de cursos de formação, bem como aos cinco Elementos que se disponibilizaram para guarnecer o quartel de Brasfemes.
Acidente, IP3, Km 70
 

BOMBEIROS DE PENACOVA EM BRASFEMES


Cinco Bombeiros de Penacova estiveram hoje, com uma ambulância e um veículo de socorro especial, no Quartel dos Bombeiros de Brasfemes a assegurar o serviço, enquanto os Colegas participavam, tranquilos, nas cerimónias de comemoração dos seus 44 anos de existência, e não estiveram parados uma vez que ainda efetuaram dois serviços de emergência.
Recorde-se que mantemos com os Bombeiros de Brasfemes uma relação muito forte de proximidade e de cooperação recíproca, como aliás ficou bem demostrado no último Verão.
Isso mesmo foi realçado hoje pelo nosso Comandante, quando discursava na qualidade de Presidente da Federação dos Bombeiros do Distrito de Coimbra e aproveitou a oportunidade para agradecer publicamente a colaboração sempre pronta e eficaz dos Colegas de Brasfemes.